CCA MOTOS
Urban
Grupo Vibracom

Troféu Mulher Destaque 2018


DIA INTERNACIONAL DA MULHER: HISTÓRIAS DE DESAFIOS E SUPERAÇÃO

Uma noite dedicada a reconhecer e homenagear as mulheres da sociedade anapolina! Este foi o objetivo da reunião ordinária da ACIA desta quarta-feira (13) que também reconheceu nove mulheres empreendedoras com o Troféu Mulher Destaque 2018.

A beleza, o glamour, os exemplos de superação e a competência das mulheres tomaram conta da 65ª Reunião Ordinária da Associação Comercial e Industrial de Anápolis que em virtude do Dia Internacional da Mulher, 08 de março, homenageou todas as mulheres e em especial 08 (oito) mulheres de notória contribuição da sociedade anapolina nas áreas do Esporte, Cultura, Assistência Social, Empresarial, Jornalismo, Educação, Militar e Saúde com o “Troféu Mulher Destaque 2018”. Também foi realizada uma nona homenagem a uma das participantes do Programa que recebeu o “Troféu Surpresa”.

A reunião foi realizada nesta quarta-feira, dia 13, e foi presidida pela vice-presidente da ACIA, Cleide Marques, que é também coordenadora do Programa ACIA Mulher. O presidente Anastacios Apostolos Dagios, o ex-presdiente da ACIA, Luiz Medeiros Pinto, a vereadora Elinner Rosa e a presidente da Associação das Viúvas de Anápolis, Dona Dorinha, prestigiaram o evento, além da ex-primeira dama de Anápolis e empresária, Onaide Santillo e do ex-jogador de da seleção brasileira de vôlei, Dante, que desenvolve um trabalho na cidade com a equipe do Anápolis Vôlei.

No lugar de uma tradicional palestra, o evento foi apresentado de forma inovadora em formato de rodadas de perguntas (TED) mediadas pelas palestrantes Adriana Brünier e Aline Ibañez, que também desenvolve trabalho na área de coaching. Curiosidades da vida pessoal e profissional das participantes foram sabiamente e entusiasticamente levantadas pelas mediadoras.

A primeira homenageada da noite foi a ganhadora do “Troféu Surpresa”, a empresária Iolanda Cordeiro, que depois realizar carreira como servidora pública e à frente do SENAC de Anápolis decidiu investir na realização do sonho de ser dona do próprio negócio e abriu a grife “Madame Biquini” no ano passado, já realizando vendas para todo Brasil. “Decidi focar em homens e mulheres reais”, contou explicando que o objetivo é atender pessoas que não estão nos padrões convencionais da moda. Também pontuou que é uma grande honra participar e ser homenageada na Casa do Empresário representando a si própria, pois por muito tempo o fez representando instituições em que trabalhou, “assim que abri minha empresa, uma das primeiras atitudes foi me tornar sócia da ACIA”, enfatizou.

Nem o tratamento de quimioterapia, nem o fato de ter de raspar o cabelo, nem a infertilidade decorrente de ter tido câncer de mama foram os maiores desafios enfrentados por Mayra Santos Lopes, segundo ela, o preconceito decorrente da desinformação foi a maior barreira que precisou enfrentar, “muitos não queriam se quer pegar na minha mão e me olhavam diferente nos lugares públicos”, desabafou. A força para superar não só a doença como também esse tipo de indiferença veio da idéia de reunir pessoas com as mesmas dificuldades na “Página Elas Contra o Câncer”, um canal de ajuda mútua e também de informação sobre o tratamento contra o Câncer. “O câncer não veio tirar a minha vida, ele veio me dar uma vida nova para ajudar outras pessoas”, partilhou a empreendedora social que tem como maior sonho fazer de Anápolis referência na saúde oncológica no Brasil. Mayra Santana Lopes foi homenageada na categoria “Saúde”.

A terceira homenageada a ser entrevistada foi a empresária Betinha Vargas, depois de trabalhar longe da família como assistente social por 05 anos começou a empreender revendendo peças a R$ 10,00 e hoje entrega peças em todo Brasil além de ter se tornado uma das maiores influenciadoras digitais do Brasil com mais de 80 mil seguidores em suas redes sociais. Afirmou que não tem medo de críticas e de fazer seus pedidos a Deus, pois Ele é o Senhor do ouro e da prata revelando que tem Nossa Senhora Aparecida como modelo de inspiração para vencer todos os obstáculos da vida. “Todos os dias quando acordo peço: Senhor, me dê sabedoria, paciência e honestidade”, revelou Betinha Vargas que recebeu o Troféu ACIA Mulher 2018 na categoria “Empresária”.

Tatiane Felix da Silva foi a ganhadora na categoria “Assistência Social”. Após passar e superar o trauma de ter sofrido queimaduras na infância, reconfigurou a dor em ajuda ao próximo criando a Associação aos familiares de pessoas acidentadas e queimadas que já ajudou e ajuda centenas de famílias.

Na categoria “Educação”, Hermogênia Eleutério de Oliveira (In Memorian) foi a homenageada. Uma vida dedicada à educação, além de importante contribuição como escritora, fazendo parte da Academia Goiana de Letras e autora do Hino de Anápolis.

No “Esporte”, o reconhecimento foi para Simone Aparecida Pereira, profissional da Educação Física movida pela paixão pelo esporte. Ela se destacou na liderança de diversos projetos importantes para a cidade de Anápolis, sendo a criadora do Circuito Anapolino de Corrida de Rua.

Na categoria “Jornalismo”, o troféu foi para Marineusa Ribeiro Borges. Suas primeiras publicações foram nos tempos áureos da Folha de Goiás ainda na década de 80 e de lá para cá Marineusa Ribeiro também imprimiu sua marca nas colunas no Diário da Manhã, Jornal do Estado, O Anápolis, Correio do Planalto e durante muito tempo também na revista Laila Navarrete. Posteriormente foi editora e proprietária da Revista Fatto, contribuiu com a revista no clube Mach 1, que registrava a vida cultural e econômica da cidade de Anápolis e região e durante a sua trajetória acompanhou e destacou os trabalhos da ACIA.

Na categoria “Cultural”, Ângela Maria Buta foi reconhecida pela longa história de contribuição para a valorização da cultura de Anápolis. A profissional foi diretora educacional, é coordenadora da Orquestra de Violeiros e gerente interina de unidades escolares municipais.

A preocupação com a segurança das mulheres é o principal foco do trabalho da Capitã Daiene Holanda Ferreira, reconhecida na categoria “Militar”. A capitã desenvolve um brilhante trabalho à frente da Patrulha Maria da Penha, divulgando os direitos das mulheres que sofrem violência doméstica e apoiando e incentivando as mulheres acolhidas pela Patrulha a lutarem pelos seus direitos.