Engecom
ABIMDE
LAB EVANGÉLICO

Anápolis na era dos corredores de ônibus

O Plano de Mobilidade Urbana de Anápolis incorpora obras futuristas que precisam ser explicadas pela sua importância. Sem agregar desenvolvimento com sustentabilidade não é mais possível garantir acessibilidade. Acessibilidade determina a qualidade de vida da população e a falta dela pode fazer a cidade parar. Anápolis assumiu o desafio de implementar obras estruturantes e definitivas focadas no desenvolvimento sustentável ao priorizar demandas cotidianas da cidade contemporânea e ao mesmo tempo encaminhar soluções abrangentes e convergentes à concepção do Plano de Plano de Mobilidade Urbana.

Paralelamente à construção de viadutos, trincheiras, passarelas para pedestres e vias marginais no Anel Viário de Anápolis, iniciou-se a implantação de modernos viadutos na área central da cidade. O prefeito Antônio Roberto Gomide, precursor do maior projeto voltado para a acessibilidade da história de Anápolis, construiu os viadutos da confluência das avenidas Presidente Kennedy/Universitária e avenidas Brasil Norte/Fayd Hanna e viabilizou a edificação do moderno elevado na Avenida Brasil (entre a Rua Barão do Rio Branco e a Avenida Goiás) e de uma trincheira no cruzamento da Avenida Brasil com a Rua Amazílio Lino.

Obras importantes sequenciadas na gestão do prefeito João Gomes, que serão concluídas pelo prefeito Roberto Naves, mediante a aplicação de verbas federais carimbadas.

MODERNIDADE E SUSTENTABILIDADE

A implantação de faixas exclusivas para ônibus e corredores do transporte coletivo é investimento público inteligente e justo, econômico e ecológico. Inteligente porque há muito mais pessoas dentro dos ônibus que nos carros. Justa porque privilegia aqueles que dependem do transporte de massa para fazer seus deslocamentos. Econômica porque gera custo muitas vezes menor ao governo e à sociedade que o aumento da frota de veículos particulares. Ao mesmo tempo é ecológica porque diminui a quantidade de veículos em circulação.

Faixas exclusivas para os ônibus não representam diminuição de espaço para os demais veículos. Corredor viário estrutural com faixas preferenciais de transporte coletivo é logística de Primeiro Mundo e solução técnica que contemplam não apenas o sistema de transporte coletivo, mas o trânsito das cidades como um todo. Otimizam e racionalizam a utilização da infra-estrutura de transporte existente e incorpora avanços que beneficiam motoristas, passageiros, motociclistas, ciclistas e pedestres. Gera qualidade aos deslocamentos e fortalece a consciência da cidadania, através da democratização dos acessos às oportunidades que a cidade oferece.  É um instrumento a serviço da organização do espaço urbano, como indutor do seu processo de ocupação.

Os cor­re­do­res se­rão im­plan­ta­dos nas ave­ni­das Bra­sil Nor­te – Bra­sil Sul, Uni­ver­si­tá­ria, São Fran­cis­co – JK, Fer­nan­do Cos­ta – Pre­si­den­te Ken­nedy e Pe­dro Lu­do­vi­co. Maior obra voltada para a acessibilidade na história de Anápolis vai revitalizar 43 quilômetros de vias públicas, com o investimento de R$ 84 milhões (verba carimbada do Governo Federal e contrapartida de R$ 13 milhões da Prefeitura) na geração de um novo conceito de transporte ao melhorar o trânsito e a qualidade de vida.

O pro­je­to in­clui a re­vi­ta­li­za­ção do cen­tro ur­ba­no de Aná­po­lis, nas vi­as que alimentam o tran­spor­te co­le­ti­vo e nos can­tei­ros cen­tra­is das ave­ni­das beneficiadas pelos cor­re­do­res. Prevê-se a re­no­va­ção de to­da a si­na­li­za­ção ver­ti­cal e ho­ri­zon­tal, o uso de equi­pa­men­tos ele­trô­ni­cos in­for­ma­ti­vos nos pon­tos de ôni­bus e nos ve­í­cu­los do tran­spor­te co­le­ti­vo ur­ba­no, além de me­lho­ri­as na ur­ba­ni­za­ção e na ar­bo­ri­za­ção. Nas ave­ni­das com pis­tas de ro­la­men­to mais lar­gas e can­tei­ros cen­tra­is serão implantados  ci­clo­vi­as e equi­pa­men­tos para otimizar a se­gu­ran­ça para os pe­des­tres.

Pesquisas apontam que a faixa exclusiva ou corredor de ônibus leva até 15 vezes mais pessoas por hora que a faixa de carros ao lado. Solução  inteligente e justa, econômica e ecológica, que chega com uma década de atraso para inserir Anápolis na era da modernidade. A NTU calcula que um ônibus substitui 50 carros nas ruas, porquanto transporte público eficiente significa menos automóveis em circulação e melhor acessibilidade para a população.

OBRAS COMPLEMENTARES

• REBAIXAMENTO DE CALÇADAS
• PONTOS DE PARADA AVANÇADA
• REVITALIZAÇÃO DE CANTEIROS CENTRAIS
• SEMÁFOROS E SENSORES DE ÚLTIMA GERAÇÃO
• EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS NOS PONTOS DE ÔNIBUS
• URBANIZAÇÃO E ARBORIZAÇÃO
• SINALIZAÇÃO E ILUMINAÇÃO