Emisa Construtora
Urban
ABIMDE

Integração Ferroviária do Brasil em Anápolis

O transporte ferroviário do Brasil faz integração em Anápolis, onde a conexão estratégica de duas importantes ferrovias de alcance marítimo – FNS e FCA – aproxima o Centro-Oeste dos mercados nacional e internacional. Próximo à Granol e ao Porto Seco Centro Oeste, no Daia, o pátio de manobras tem 24 quilômetros de linhas férreas, em área total de nove alqueires.

 

GRANOL INAUGURA OPERAÇÃO COMERCIAL DA FNS

No dia 10 de dezembro de 2015, um gigantesco trem composto de três locomotivas tracionando 80 vagões carregados de farelo de soja na Granol, em Anápolis, partiu para a primeira viagem comercial oficial da Ferrovia Norte-Sul, com destino ao Porto de Itaqui. em São Luiz, no Maranhão. Em Açailândia, o comboio fez conexão com a Estrada de Ferro dos Carajás.

Se a carga de 6,4 mil toneladas fosse transportada por rodovias seria necessário usar 200 caminhões. A composição percorreu 2,4 mil quilômetros em quatro dias e a logística de embarque foi ágil e completa, sem nenhum embaraço, uma vez que a carga saiu alfandegada do Porto Seco de Anápolis.

A logística e a infraestrutura nacionais vão receber grande impulso, com a operação comercial da Ferrovia Norte-Sul, mas a Região Centro-Oeste e o Tocantins, que fica na Região Norte, irão turbinar a expansão agrícola através do novo corredor de escoamento, concorrendo com os altos preços do transporte rodoviário.

Entre as novas fronteiras de produção/exportação de alimentos no Brasil, o Centro-Oeste, tanto quanto o Norte, vão assumir a expansão agrícola. Há necessidade de corredores de escoamento, com outros modais que concorram com os altos preços do transporte rodoviário. A estimativa é de que os custos de mercadorias por quilômetro transportado vão cair em média 30% com a integração dos modais rodoviário, ferroviário e aeroviário.

 

ESPINHA DORSAL DO BRASIL TERÁ MAIS DE 4 MIL KM

A longitudinal Ferrovia Norte-Sul é a espinha dorsal do transporte do Brasil. Ela foi concebida sob o propósito de ampliar, integrar e estruturar o sistema ferroviário nacional, em conexão com várias estradas de ferro. Quando concluída, a FNS possuirá a extensão de 4.155 quilômetros e cortará os estados de Pará, Maranhão, Tocantins, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: