LAB EVANGÉLICO
Sindicato Rural de Anápolis
Engecom

Duplicação da BR 153 Norte vai criar um novo eixo

Um estratégico e competitivo eixo vai consolidar a fronteira econômica que se estenderá de Anápolis ao Estado do Tocantins, através da rodovia BR 153 privatizada e duplicada. Dezenas de municípios serão inseridos, definitivamente, na rota do desenvolvimento em conexão direta com o eixo do corredor Goiânia-Anápolis-Brasília.

A duplicação da BR 153, trecho de 624,8 km, entre o distrito de Interlândia (Anápolis) e Aliança do Tocantins-TO, orçada em R$ 1,54 bilhão, vai impulsionar o desenvolvimento da região norte do Estado, em especial os 23 municípios que margeiam a rodovia Belém-Brasília, a serem beneficiados, diretamente, pelas melhorias programadas pela ANTT no processo de privatização. A Galvão Engenharia, vencedora da licitação, tem prazo até 2019 para duplicar a rodovia, construir viadutos, passarelas para pedestres e vias marginais e implantar os serviços de socorro médico e mecânico e monitoramento por câmaras.

É superior a 600 mil habitantes a população das cidades que recebem influência da Belém-Brasília, trecho Anápolis-Rialma. O corredor de 139 km incluirá os municípios de Anápolis, São Francisco de Goiás, Pirenópolis, Jesúpolis, Jaraguá, Goianésia, Vila Propício, Barro Alto, Uruana, Carmo do Rio Verde, São Patrício e Rialma, além de Ceres, do outro lado da ponte sobre o Rio das Almas.

De Ceres à divisa Goiás-Tocantins, a nova BR 153 terá influência positiva no desenvolvimento dos municípios de Santa Izabel, Rubiataba, Nova Glória, Hidrolina, Itapaci, Sta. Terezinha de Goiás, São Luiz do Norte, Uruaçu, Campinorte, Nova Iguaçu, Alto Horizonte, Mara Rosa, Amaralina, Santa Tereza de Goiás, Porangatu, Novo Planalto e Talismã, porta de entrada do Tocantins. No estado vizinho, as obras impactarão ainda os municípios de Alvorada, Figueirópolis, Cariri do Tocantins, Gurupi e Aliança do Tocantins, entroncamento com a TO 080, no final do trecho.

Depois da criação da Colônia Agrícola de Ceres, em 1941, e da implantação da rodovia Belém-Brasília, em 1960, Anápolis enfrentará o desafio de promover a integração da região norte do Estado ao segundo maior corredor para a atração de investimentos do país. O encontro com o norte, através da nova rodovia Belém-Brasília, será um passo decisivo para a consolidação do Polo Logístico de Anápolis.

O encontro de Anápolis com o Norte, através  da BR 153 duplicada até o Tocantins, acontecerá no distrito de Interlândia