Urban
GENESIS OFFICE
Emisa Construtora

Anápolis focada na logística multimodal

Anápolis terá, efetivamente, mais competitividade para consolidar o maior polo logístico do interior do Brasil ao acessar diretamente a modalidade fluvial no porto de São Simão, através do ramal da Ferrovia Norte Sul. Cargas de alta tonelagem, alfandegadas no Porto Seco Centro Oeste, serão transportadas por ferrovia até o extremo sudoeste do Estado de Goiás e seguirão em barcaças pela Hidrovia Paranaíba-Paraná-Tietê até o terminal intermodal da cidade de Pederneiras (SP), onde serão transferidas para trens cargueiros com destino ao Porto de Santos (SP).

A ferrovia desenvolve projeto para a construção de um novo porto em São Simão, que deverá escoar soja, farelo de soja e biocombustível. Tratativas nesse sentido estão sendo discutidas com o principal grupo investidor – Caramuru – que deseja ter acesso a uma nova modalidade de transporte que não seja apenas a hidrovia. No polo de Santa Helena a ferrovia e embarcará soja, milho e açúcar, dentre outros produtos agrícolas produzidos no Sudoeste goiano, aproximando o mercado local com os portos de Santos (SP), Itaqui (MA) e Ilhéus (BA).

Com a integração dos ramais ferroviário e rodoviário a Ferrovia Norte Sul fará a transferência de cargas e serviços, mas em Anápolis uma mesma operação logística poderá utilizar também os modais aeroviário, através do Aeroporto de Cargas, e fluvial em conexão o porto de São Simão. Através da logística intermodal integrada Anápolis poderá fazer a diferença no imenso corredor de exportação e exportação ao logo da espinha dorsal do Brasil.

O transporte corresponde, em geral, a uma parcela muita alta da formação dos custos finais das mercadorias, especialmente as de grande tonelagem que percorrem longas distâncias, porquanto a integração de modais em conexão com o porto de São Simão é prioridade estruturante do polo logístico de Anápolis. Em comparação com os outros modais, a hidrovia se viabiliza pela movimentação de grandes cargas a preços reduzidos. Com um litro combustível, por exemplo, o transporte de uma tonelada de carga atinge 220 quilômetros pela hidrovia, 85 quilômetros por ferrovia e 25 quilômetros pela rodoviária.

Em operações que demandam o trabalho de poucas dezenas de marinheiros, o complexo de São Simão transporta anualmente seis milhões de toneladas. Para levar a mesma quantidade de grãos por rodovias seria necessário mobilizar 200 mil caminhões. Outra vantagem da hidrovia é a redução dos índices de acidente e de poluição nas rodovias.

A geração de um hub competitivo é imprescindível à consolidação de uma nova vocação econômica. Não agregar à localização geográfica estratégica de Anápolis todo o potencial do seu portfólio de referenciais e diferenciais estruturantes é perder o foco da logística multimodal e tomar contramão do futuro.

A integração de modais de transporte, em Anápolis, vai agilizar a logística e diminuir custos