LAB EVANGÉLICO
Engecom
ABIMDE

Anápolis decola nas asas do Gripen NG

Nas asas do Gripen NG e do Polo de Defesa, Anápolis vai decolar para o futuro. O Gripen é um dos caças multiemprego mais avançados do mundo. A sua versatilidade  é a chave para enfrentar e derrotar qualquer  ameaça ao Brasil, presentes ou futuras. Com suas precisas armas teleguiadas, o Gripen NG pode atacar e destruir alvos aéreos, marítimos e terrestres, 24 horas por dia, em qualquer condição meteorológica. 

A Força Aérea Brasileira e a indústria brasileira fizeram uma parceria com a Força Aérea Sueca e com a Saab no design, desenvolvimento e integração dos programas de tecnologias futuras do Gripen NG. O envolvimento brasileiro desde a fase inicial de design e desenvolvimento do Gripen NG possibilita à Força Aérea Brasileira e à indústria um acesso sem precedentes a todos os níveis de tecnologia atuais e no futuro.

Protótipo do Gripen brasileiro faz o primeiro voo

O protótipo do Gripen NG, que vai equipar a Força Aérea Brasileira (FAB), decolou para o seu primeiro voo, em junho de 2017, no aeródromo da fabricante em Linköping, na Suécia, e e retornou em segurança 40 minutos depois. Durante o teste, o avião realizou uma série de avaliações, incluindo a retração e extensão do trem de pouso.

“O voo foi exatamente como o esperado, com o desempenho da aeronave combinando a experiência em nossas simulações. Seu desempenho de aceleração é impressionante, com um bom manuseio. Estou muito feliz por ter pilotado neste voo inaugural “, disse Marcus Wandt, piloto de teste da Saab.

Segundo declaração de Jonas Hjelm, vice-presidente da área de negócios da Saab, o programa de desenvolvimento da aeronave “está no caminho certo” e as primeiras unidades serão entregues ao Brasil e Suécia a partir de 2019.

Em outubro de 2014, o Brasil assinou um contrato de US$ 5,4 bilhões para compra de 36 caças Gripen de nova geração. Já a Suécia, o outro cliente confirmado do avião militar, vai adquirir 60 unidades da aeronave, também conhecida como Gripen NG.

Transferência de tecnologia para a indústria brasileira

O acordo assinado entre Brasil e Suécia também prevê a transferência de tecnologia para a industria brasileira. Parte do lote de caças encomendado para a FAB está sendo construída no Brasil, pela Embraer, processo que foi iniciado na unidade da empresa brasileira em Gavião Peixoto (SP), no “Centro de Projetos e Desenvolvimento do Gripen”.

Outra responsabilidade do centro em Gavião Peixoto será o desenvolvimento e produção do Gripen F, a versão do caça para dois pilotos (biposto). A FAB encomendou oito unidades dessa opção, que mantém as características de combate mas também servirá na formação de novos pilotos.

O novo Gripen é uma aeronave que pode atuar em diferentes funções. Além de caça de interceptação, também pode ser utilizado como bombardeiro e avião de reconhecimento armado.

De acordo com o fabricante sueco, o Gripen E pode voar a mach 1 (velocidade do som – 1.234 km/h) sem a necessidade de usar pós-combustor (quando o motor atua como se fosse um foguete) e, com força total, pode alcançar a velocidade máxima de 2.200 km/h.

Já o autonomia do caça, comparado ao das versões anteriores, aumentou 50%, mesmo sem a necessidade de reabastecimento aéreo. Em configuração de combate (armado com quatro mísseis e levando dois tanques de combustível externos), a nova geração do Gripen tem alcance de 1.800 km.

A arquitetura de aviônicos de última geração e seus sistemas bélicos tecnologicamente avançados, conferem ao Gripen NG a capacidade de detectar e disparar primeiro contra outras aeronaves ou mísseis de cruzeiro, mesmo estando voando a baixa altitude. Isso faz com que seja muito difícil se equiparar ao Gripen NG, em qualquer situação de combate.

Sistema de aviônicos 100% integrado

O sistema 100% integrado de aviônicos de missão, o que inclui o radar AESA, o sensor IRST e um avançado sistema ativo e passivo de guerra eletrônica, viabiliza uma superior fusão de sensores e uma excepcional capacidade de apoio a decisões.

Dotada de um moderno sistema de alerta de aproximação de míssil,   de alerta por laser e contramedidas a reboque, e de  sistema de bloqueio de sinais (jamming), a aeronave se destaca por suas excelentes características ofensivas e defensivas.

Avançado layout aerodinâmico e excepcional agilidade

A excepcional agilidade do Gripen NG ó o resultado da combinação de um avançado layout aerodinâmico usando uma configuração combinada de asa canard close-coupled e um sistema digital fly-by-wire. O novo e mais potente motor General Electric F414 G não apenas confere ao Gripen NG a capacidade de supercruise, como também oferece um imbatível baixo custo de ciclo de vida e
confiabilidade.

A alta disponibilidade operacional do Gripen e suas exigências mínimas de suporte resultam em uma alta taxa de saídas e mais tempo no ar.

Uma ampla gama de armas tecnologicamente avançadas podem ser adquiridas de fornecedores de todas as partes do mundo, dando à Força Aérea Brasileira a liberdade de escolha e eliminando as restrições de fornecedor único.

Pilotos brasileiros testam os novos caças

No Gripen NG, piloto da FAB pode não só participar da Rede de Defesa do Brasil, como também será um ponto de conexão, tornando os demais participantes da rede ainda mais eficientes, compartilhando e suprindo informações e inteligência. Um piloto de caça precisa saber o que está acontecendo em sua volta para ter superioridade de informações. Essa consciência situacional é vital para combates centrados em rede e a execução de missões de combate. Essa, porém, não é a única chave para se vencer uma batalha no Século XXI, onde a troca de informações é intensa. Trata-se apenas de um elemento viabilizador.

Com armas e sensores tecnologicamente avançados, o Gripen NG não confere apenas ao combatente a capacidade de coletar informações da  arena de combate, como também a amplifica sua capacidade de processar e analisar estas informações e tomar uma ação imediata e correta.

Com todas essas vantagens, o Gripen NG ainda é a aeronave de ultima geração com os menores custos de aquisição, de manutenção e de operação, totalmente compatível com os restritos orçamentos de defesa.

%d blogueiros gostam disto: