FAMA
Grupo Vibracom
Sindicato Rural de Anápolis

A Hyundai é uma vitória de Anápolis

“A fábrica da Hyundai-Caoa, uma vitória de Anápolis e um marco na história de Goiás , completa 10 anos, gerando milhares de empregos diretos e indiretos e aumento da arrecadação do estado e do município, que passaram a ter mais recursos para fazer investimentos, graças aos incentivos fiscais do Programa Produzir, criado pelo governador Marconi Perillo”. A observação é do empresário Ridoval Chiareloto, que ocupava a Secretaria da Indústria de Goiás quando foi inaugurada no Daia a fábrica da Caoa. Hoje ele está na presidência da AGR – Agência Goiana de Regulação, órgão estratégico do Governo de Estado, mas mantém o vínculo com a Associação Comercial e Industrial de Anápolis.

 

Quatro vezes presidente da Acia, o empresário tem mais de 40 anos de atuação na entidade, onde construiu a liderança que o conduziu à SIC, com a missão de promover a atração de indústrias para Goiás, especialmente para o Daia. Presidente da entidade, em 2003, ele abandonou suas férias para cobrar do governador a Secretaria de Indústria e Comércio para Anápolis. Na condição de amigo pessoal de Marconi Perillo e com a autoridade de representante de diversas entidades de classe verberou que o município não abria mão da Secretaria de Indústria e Comércio. Do encontro saiu nomeado secretario.

Ao assumir, dispôs as prioridades: dar total atenção ao empresário e vender Goiás. Vendedor nato, o catarinense chegara a Goiás no início dos anos 1970 com um bloco de pedidos e uma grande bagagem de sonhos. Ao longo de décadas como empresário e classista preparou-se para o desafio de vender Goiás para o Brasil. Em mais de 150 viagens manteve contatos com o empresariado nacional de todas as esferas, apresentando o potencial goiano e os incentivos oferecidos pelo governo. Numa dessas viagens conheceu o médico baiano Carlos Alberto Oliveira Andrade, com quem iniciou os contatos que resultaram na construção da fábrica da Hyundai, em Anápolis.

O intenso ritmo de trabalho na SIC exigiu a criação de turnos extras, pois o secretário madrugador, mesmo morando em Anápolis, começava a despachar antes das 7 horas e esticava o expediente até depois das 19 horas. Sob a condução de Ridoval Chiareloto, a SIC se destacou como a única secretaria do Brasil que conquistou o Certificado ISO 9.001.

Os objetivos alcançados foram a ampliação da carteira de investimentos no território goiano – sobretudo no segmento da agroindústria – e também na área de tecnologia. Ganhou destaque, também, o setor de mineração. Em Anápolis, o Daia confirmou-se no cenário industrial e ganhou renome nacional. Comprova essa afirmação, a conquista da primeira montadora de veículos da Hyundai, inaugurada em 2007.

Na SIC, enfatizou o processo de ocupação do Daia. Assim é que o Distrito Agroindustrial de Anápolis acumulou nos governos de Marconi Perillo grandes investimentos para melhoria e/ou atualização de sua infra-estrutura e apoio à implantação de novas indústrias. No período, o Daia incorporou 135 novos projetos, com substancial investimento para ampliação de empresas já instaladas. Nos governos de Marconi Perillo, montante de R$ 1,4 bilhão aplicado no Daia gerou 15 mil empregos diretos e 45 mil indiretos.

Ao mesmo tempo, Ridoval encetou um processo de fortalecimento do Porto Seco, que resultou na atração de 14 empresas de importação e exportação para a Estação Aduaneira localizada no Daia. Um detalhe importante é que, em 2003, quando assumiu a Secretaria de Indústria e Comércio, o número de postos de trabalho saltou de 3.800 para 15.000 empregos diretos.

O vínculo estabelecido entre Marconi Perillo e Ridoval Chiareloto tem um ponto de partida comum: a aproximação através de Henrique Santillo, desde a década de 70.

%d blogueiros gostam disto: