GENESIS OFFICE
Engecom
Emisa Construtora

ACIA – A força de Anápolis

A ação forte e contínua em defesa da união e do fortalecimento da classe empresarial cacifou a ACIA – Associação Comercial e Industrial de Anápolis, à liderança do bloco de entidades que compartilharam, nas últimas décadas, o esforço do setor produtivo pelo desenvolvimento sócio-econômico do município. Desde a unificação das associações comercial e industrial, em 1971, a   ACIA vive uma era de desafios. O perfil do atual presidente da ACIA, Anastácios Apóstolos Dagios, pode ser retratado, simplesmente, por quatro letras – AÇÃO – absolutamente alinhadas com o seu estilo de comandar a entidade.

QUEM É ANASTÁCIOS APÓSTOLOS

Casado, seis filhos, natural de Brasília, engenheiro civil graduado pela Universidade Mackenzie e engenheiro de segurança no trabalho, graduado pela Universidade Federal de Goiás e radicado em Anápolis, desde 1984, é homem de ação e empreendedor, sócio proprietário do Grupo Etenco (Etenco – Escritório Técnico de Engenharia Ltda.,Etenco Multiservice – Serviços de Terceirização Ltda., Etenco Management – Administração Predial / Real State Ltda. e  Pólo de Empreendimentos Trade Center – Jaiara Shopping).  Classista, diretor do Sindicato da Indústria da Construção de Anápolis, notabilizou-se na vice-presidência da ACIA e foi aclamado candidato único e eleito presidente para o mandato de 2015/2017.

 

Para enfrentar os desafios do futuro sustentável de Anápolis, através de gestões propositivas, em parceria com o setor público, sem perder a combatividade de seus antecessores, Anastácios emplacou um novo estilo de defender  as causas históricas da entidade. A agenda de prioridade da atual diretoria destaca a união e valorização da classe empresarial, através do fortalecimento da entidade, o aumento do quadro de filiados e a modernização da prestação de serviços, com foco na construção da nova sede e na implementação do projeto ANÁPOLIS GLOBAL, que terá a marca da ACIA com a cara de Anastácios.

DO ESTIGMA AO PARADIGMA

Polo regional distribuidor de secos e molhados para o médio norte e norte do Brasil e fornecedor de material de construção e mão de obra para a edificação de Goiânia e Brasília, Anápolis tinha tudo para se transformar em cidade dormitório, entre as duas metrópolis que sugavam a sua economia, nos anos 1960, quando os investidores direcionavam os seus negócios para a Capital Federal e a Capital do Estado. Mas o elo dos setores público e privado transformou o estigma da estagnação à beira da estrada em paradigma de uma nova vocação econômica.

Anápolis não só enterrou o dogma de cidade dormitório como construiu um novo paradigma, a bordo de diferenciais competitivos e referenciais de desenvolvimento, que ensejaram, mais recentemente, a melhoria da qualidade de vida.

FORÇA MOTRIZ DA RETOMADA

Força motriz da maior arrancada de desenvolvimento da história do município, a Associação Comercial e Industrial de Anápolis deflagrou o movimento pela industrialização, que culminou com a implantação do Distrito Agroindustrial. A instalação da Base Aérea dos Supersônicos, pouco antes, despertara Anápolis para o futuro, mas a retomada somente aconteceu com a consolidação do Pólo Industrial, do Pólo Farmacêutico e do Porto Seco Centro-Oeste, projetos realizados pela determinação de classistas abnegados e pela fé de investidores empenhados no resgate da auto-estima da cidade.

De cidade decadente à beira da estrada, entre Brasília e Goiânia, Anápolis tornou-se eixo deste grande corredor de sete milhões de consumidores, com enorme potencial logístico, a apenas 1.300 km de 70 por cento do PIB brasileiro. Maior que a importância regional resgatada será o crescimento vertiginoso do comércio exterior, que projetará Anápolis no mercado internacional.

Neste cenário, o município está entre os melhores do Brasil para investir e viver, conforme pesquisas das revistas Veja e Exame. Tribute-se reconhecimento e homenagem aos signatários das entidades do setor produtivo lideradas pela Associação Comercial e Industrial de Anápolis.

PACTO POR ANÁPOLIS

Projetos estratégicos e estruturantes, como a consolidação da Ferrovia Norte-Sul, do Centro de Convenções, da Plataforma Logística Multimodal, do Aeroporto Internacional de Cargas, do entreposto da Zona Franca de Manaus, do Parque Tecnológico, do Centro de Distribuição e do Anel Viário do Daia, somados à consecução de obras recorrentes, como a  revitalização da infraestrutura e da estrutura do Daia, sua ampliação e a criação de outros distritos industriais para a atração  de  investimentos e a retomada do crescimento, fazem parte da agenda de prioridades da entidade em sintonia com as metas do Pacto Por Anápolis”.

Anápolis estrutura-se para ser um grande pólo logístico a par do apoio do setor produtivo, liderado pela ACIA,  desde a batalha  pelo asfaltamento das rodovias estaduais, nesta região, até a pavimentação de trecho da BR 414, e duplicação do asfalto Goiânia e Brasília, consolidando este município como eixo de um mercado de sete milhões de consumidores e terceiro maior corredor de investimentos do país.

PROJETO ANÁPOLIS GLOBAL

Com garra e determinação, a ACIA está na vanguarda da atração de investimentos e consolidação do mais importante pólo logístico do interior brasileiro, pedra angular da inserção da Anápolis no seleto grupo das cidades de economia globalizada. A visão futurista do projeto ANÁPOLIS GLOBAL objetiva encontrar soluções para as demandas do município e achar o caminho para um futuro além da imaginação.

TUDO PELO POLO DE DEFESA

A ACIA assumiu o protagonismo da mobilização para a atração do Polo de Defesa para Anápolis, referencial competitivo da consolidação do polo logístico e potencial determinante de uma nova arrancada de desenvolvimento. O presidente da Associação Comercial e Industrial de Anápolis, Anastácios Apóstolos Dagios, enfrenta o desafio dos seus desafios, em seguidas audiências em busca de apoio para o projeto. Acompanhado de diretores da entidade ele foi ao encontro de empresários do imenso polisetor de defesa em São Paulo, cujo desdobramento será a realização de um seminário promovido por Anápolis na Capital Paulista.

A mais recente mobilização em prol do Polo de Defesa aconteceu na terca-feira, dia 10 de outubro, em Brasília. Acompanhado de várias lideranças empresariais e políticas de Anápolis, dentre as quais o prefeito de Anápolis, Roberto Naves, o governador Marconi Perillo reuniu-se com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, quanto foram colocados em pauta investimentos da área para a concretização do Polo de Defesa e Tecnologia Aérea para a cidade. Durante o encontro, por intermédio de vídeo e explanações, a comitiva apresentou todas as vantagens comparativas e competitivas de Anápolis ao ministro.

O governador fez um completo relato das obras de conclusão do segundo principal aeroporto de cargas do Brasil, em construção em Anápolis, assim como o Porto Seco, e da infraestrutura já instalada que dará suporte às indústrias farmacêuticas, automobilística e de processamento de grãos, dentre outras. “Mostramos o que Anápolis representa do ponto de vista de logística, de infraestrutura e de possibilidades para o Brasil”, disse Marconi.

A Base Aérea de Anápolis se prepara para receber  36 caças Gripen NG que a Força Aérea Brasileira está adquirindo da Suécia. Esse foi outro pronto de destaque na reunião. “Nós temos tudo para consolidar Anápolis como esse polo de defesa”. Marconi tenta aproveitar a implantação de tecnologia para manutenção dos novos caças da Força Aérea Brasileira para gerar um movimento de interesse de empresas fornecedoras de peças, serviços e até mão de obra para a indústria aeronáutica. Com a posição geográfica de Anápolis e Goiânia, estratégica para a aviação militar e civil em um país com as dimensões do Brasil, o governador quer também incentivar a migração de projetos tecnológicos para Goiás.

CONSTRUÇÃO DA NOVA SEDE

Entre as prioridades da atual gestação está a construção da nova sede da entidade, na Avenida Brasil Sul, em área de 5.000 metros quadrados doada pelo governador Marconi Perillo. O prédio da Rua Manoel d’Abadia, edificado em 1971, ficou pequeno para atender a demanda de serviços da entidade, notadamente na área social. Com mais de 30 mil afiliados o “Cartão de Vantagem” é uma célula forte da ACIA, que a partir de 2018 vai evoluir para um cartão de crédito.

TÚNEL DO TEMPO

ANOS 1930 – Com a chegada da estrada de ferro, marco da uma grande arrancada de desenvolvimento regional, surge em 1936 uma entidade representativa das forças vivas do município – a  Associação Comercial de Anápolis.
ANOS 1930/1950 – Apoiada pela ACA, Anápolis ajuda a consolidar a Colônia Agrícola no Vale do São Patrício, a rodovia Brasília-Belém, a nova Capital do Estado e a nova Capital do Brasil.
ANOS 1960 – Associação Comercial contribui para a consolidação do polo atacadista que viria a transformar Anápolis na Capital do Arroz em todo o Brasil.
ANOS 1970 – No início dos anos 1970, a entidade dá suporte à instalação da Base Aérea de Anápolis, que projetará a cidade nacionalmente.
UMA NOVA ERA – A ACA, transformada em ACIA – Associação Comercial e Industrial de Anápolis, em 1971, participa direta e decisivamente de todas as lutas e conquistas do município na busca do desenvolvimento e da qualidade de vida.
VOCAÇÃO INDUSTRIAL – Marco da nova vocação econômica do município, o Distrito Agroindustrial de Anápolis é idealizado e consolidado partir da fé e da determinação das lideranças desta entidade.
NASCE O PORTO SECO – Não menos importante é o esforço da ACIA para a criação e consolidação do Porto Seco Centro Oeste, referencial do crescimento da economia de Anápolis através da exportação e da importação.
ANOS 2.000 – Anápolis tem o segundo polo farmacêutico do Brasil e a “Capital Brasileira dos Genéricos” com a participação decisiva da ACIA aos projetos de implantação e ampliação das indústrias farmacêuticas instaladas dentro e fora do Daia.
*  A ACIA trabalha pelo progresso de Anápolis, com foco nos pequenos, médios e grandes investimentos, e na prestação de serviços aos associados. * Registre-se o apoio da ACIA à implantação de novas indústrias no município, ao longo das últimas décadas, bem como à atração de empresas comerciais e de prestação de serviços. * Na área da educação e formação de mão de obra para dar suporte ao processo de desenvolvimento econômico do município, a entidade lidera movimentos pela consolidação da UEG e implantação de cursos técnicos e tecnológicos. no Município.