Grupo Vibracom
LAB EVANGÉLICO
Sindicato Rural de Anápolis

Captação de água do Rio Capivari é marco histórico

O governador Marconi Perillo deu início, nesta quarta-feira, dia 21, à  obra de infraestrutura urbana mais importante da cidade Anápolis: a solução para o problema   de falta de água tratada.

No quilômetro 417, da BR-414, próximo ao distrito de Planalmira, o governador, acompanhado pelo prefeito Roberto Naves, acionou as máquinas da Saneago que vão trabalhar na construção de um sistema de captação de água do Rio Capivari até a adutora do Piancó, aumentando substancialmente a oferta para a população anapolina. Na prática, o sistema vai atuar com uma fonte reserva, em casos de queda na vazão do Piancó I e Piancó 2, nos períodos de estiagem.

A obra, inteiramente bancada com recursos da Saneago, foi orçada em R$ 3,8 milhões e se insere no contexto dos investimentos globais do Estado, em Anápolis, na área de saneamento básico, cuja rubrica orçamentária é de R$ 120 milhões. O novo sistema de captação no Capivari, com 3,9 quilômetros de extensão, deve ficar pronto até outubro próximo e terá capacidade de vazão de 170 litros por segundo.

Em rápida solenidade  de lançamento da obra, Marconi explicou que dos R$ 800 milhões advindos com a privatização a Celg D, reservou R$ 200 milhões para obras da Saneago, boa parte para resolver o problema da escassez de água em Anápolis, que tanto aflige a população.

Enfatizou que existem quatro projetos estratégicos que estão sendo tocados pela Saneago: a conclusão do Complexo do Sistema Produtor Mauro Borges e obras de saneamento em Goiânia; o sistema produtor Corumbá IV, que vai beneficiar as populações do Entorno Sul do Distrito Federal, e o aumento da oferta de água em Anápolis, com a obra iniciada  e a ligação definitiva do Capivari ao Piancó, com a construção de novas elevatórias e adutoras de água bruta.

Para Marconi, uma cidade do tamanho e da importância de Anápolis não pode conviver com o drama da falta de água. Ele prevê que em breve esse assunto será página virada. “Vamos dar solução a um problema para que Anápolis continue na ponta do desenvolvimento nacional”, afirmou em entrevista à imprensa após o lançamento da obra. Segundo ele, todas as obras do Estado em Anápolis foram retomadas, reforçando a parceria do Governo do Estado com a prefeitura.

MARCO HISTÓRICO

Para o prefeito Roberto Naves, a obra de captação no Rio Capivari representa um marco histórico. “É um compromisso nosso e que levamos desde antes de assumir a Prefeitura ao governador Marconi Perillo. Ele entendeu nossa demanda e agora responde com a primeira obra que deve acabar com o desabastecimento em Anápolis”, completou o prefeito.

O governador Marconi Perillo reconheceu que a questão da água é uma prioridade para o prefeito Roberto Naves, “quase uma obsessão”, e que o estado vai investir, via Saneago, quase R$ 120 milhões no município. Para se ter ideia da importância, esse valor corresponde a 60% de tudo que será investido pela companhia até 2018. “O abastecimento de água em Anápolis é um de nossos principais desafios e por isso estamos destinando esses recursos para atacar o problema”, disse o governador.

OUTRAS OBRAS

Durante evento que ocorreu no Teatro Municipal foram apresentados, oficialmente, os projetos que serão contemplados com o convênio de R$ 10 milhões, provenientes dos recursos da Celg. São eles: feirão do Recanto do Sol, instituição de ensino no Bairro Copacabana, quadras esportivas, feirões cobertos, Centro do Idoso, revitalização do Centro Administrativo do Parque Ipiranga, Centro de Internação, Centro Pediátrico, Centro do Idoso, dois restaurantes populares.
Foram assinadas também as ordens de serviço para reinício de obras do anel viário, Centro de Convenções e Aeroporto de Cargas. “São projetos que vão transformar a vida da população. Daqui até a metade do próximo ano, todas as obras de Anápolis terão a digital do governo do Estado”, afirma Roberto Naves.
Duas conquistas, uma delas inesperada, foram garantidas durante a visita do governador. De acordo com Naves, o governo do Estado vai repassar o valor integral do Passe Livre Estudantil, além de reafirmar que 30% da área da Plataforma Logística serão destinados para abrigar futuras indústrias.