FAMA
Sindicato Rural de Anápolis
ABIMDE

10 razões para consolidar o Polo de Defesa de Anápolis

Consolidar o Polo de Defesa e Segurança de Anápolis é a melhor alternativa para a política estratégica de fortalecimento da indústria nacional de defesa através da logística competitiva, da interoperabilidade operacional e da transferência de tecnologias. Neste cenário, 10 razões (não necessariamente na ordem abaixo) indicam que as assertivas de Anápolis traduzem o novo conceito da Base Industrial de Defesa integrada estrategicamente à Central de Suprimentos das Forças Armadas na região central do Brasil.

 

Indústria-Universidade-Empresa

Chancelado pela Federação das Indústrias do Estado de Goiás – FIEG e pela Associação Comercial e Industrial de Anápolis – ACIA, o Comitê da Indústria de Defesa e Segurança de Goiás – COMDEFESA-GO, apresenta ao País um projeto inovador que engloba INDÚSTRIA-UNIVERSIDADE-GOVERNO, indexado ao desenvolvimento de pesquisas, transferência de tecnologias para a produção, distribuição e manutenção de produtos e serviços.

Rota estratégica da Defesa do Brasil

Na rota estratégica da defesa e da segurança do Brasil (centro geográfico do País e praticamente colado no Distrito Federal), o Município de Anápolis localiza-se a apenas 1.300 km de 75% do PIB do nacional. Estratégico para o equilíbrio orçamentário do Ministério da Defesa, o Polo de Defesa e Segurança de Anápolis representará substancial redução de custos da logística do Exército, da Aeronáutica e da Marinha e também dos órgãos de segurança. Encurtar as distâncias do país é uma das metas estratégicas da eficiência logística convergente aos objetivos da soberania nacional, do fortalecimento da indústria de defesa e do desenvolvimento do País.

Polo de Desenvolvimento

Anápolis é o momento e o destino do Polo de Defesa e Segurança. Cidade estruturada, com aproximadamente 400 mil habitantes e PIB superior a R$ 13 bi, Anápolis é Polo de Desenvolvimento Nacional (com visão internacional), Polo Industrial (maior do Centro-Oeste), Polo Farmacêutico (segundo do Brasil), Polo Logístico (a ser consolidado pelo Aeroporto Internacional de Cargas e pela Plataforma Multimodal), Polo Universitário (duas universidade, mais de 100 cursos e 250 escolas) e Polo de Turismo (consagrado pelo maior centro de convenções do Centro-Oeste). Anápolis é o momento e o destino do Polo de Defesa e Segurança.

Atração de investimentos

O COMDEFESA-Go busca incentivar a instalação de indústrias fornecedoras de materiais para as Forças Armadas e polícias Federal, Militar e Civil. O objetivo é identificar oportunidades de negócios para as empresas goianas atenderem a demandas de suprimento de diversos tipos de produtos e serviços às Forças Armadas e forças de segurança, além de mostrar às indústrias que compõem a Base Industrial de Defesa o vantajoso diferencial competitivo proporcionado pela infraestrutura instalada em Anápolis.

Forte vocação militar

Com forte vocação militar, Anápolis é sede da mais importante ALA da Força Aérea Brasileira que centralizará as operações do Gripen NGB para na defesa do espaço aéreo do Brasil. O desenvolvimento binacional dos componentes dessas aeronaves e do Sistema de Mísseis Astros (sediados na Base de Artilharia do Exército, em Formosa) torna Goiás um ponto natural de convergência da Base Industrial de Defesa. A presença dessas unidades já demonstra a demanda de indústrias especializadas na região.

Incentivos fiscais e econômicos

Ao portfólio competitivo de Anápolis acrescente-se o atrativo cardápio de incentivos fiscais do Governo de Goiás em convênio com o Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária). A partir de agora, o estabelecimento industrial fabricante que vende para o Ministério da Defesa e seus órgãos pagará carga tributária reduzida de 4% do ICMS. A intenção é atrair empresas para Anápolis que já sedia a AlA 2 da FAB. Linha de financiamento específica, criada pelo BNDES para as exportações através da Base Industrial de Defesa, possibilita financiar o cluster de defesa e também equiparar os preços domésticos aos internacionais.

Do alfinete ao foguete

A Base Industrial de Defesa é formada por empresas de vários segmentos produtivos, como automóveis, caminhões, tratores, softwares, comunicações, aeroespacial, armas e munições. O segmento de defesa é um mercado muito mais amplo, que envolve, por exemplo, proteção balística e blindagem, aeronaves, viaturas, veículos não tripulados, sistemas de comando e controle. Do foguete ao alfinete. Embora as empresas desse setor pertençam a segmentos produtivos tão diversos, uma característica comum a todas elas é o emprego de alta tecnologia e processos produtivos totalmente inovadores, o que pode agregar inestimável valor científico e tecnológico em toda cadeia produtiva do parque industrial de Anápolis.

Aval da Escola Superior de Guerra

Estudos da Escola Superior de Guerra e do Ministério da Defesa indicam Anápolis como o mais promissor município brasileiro para sediar o Polo de Defesa. Sua localização central no território brasileiro facilitaria o emprego de medidas para neutralizar com eficiência eventuais ações hostis contra a capacidade industrial brasileira, além de ser um indutor da interiorização do desenvolvimento econômico e tecnológico. Defesa e desenvolvimento caminham juntos quando os investimentos na capacitação das Forças Armadas criam oportunidades que favorecem a inovação e o crescimento econômico. Desonerar o custo de produção das empresas consideradas como estratégicas incentiva o desenvolvimento de tecnologias indispensáveis ao Brasil.

Logística competitiva

Projeto factível, o Polo de Defesa poderá viabilizar o Aeroporto Internacional de Cargas de Anápolis, destravar a Plataforma Logística Multimodal de Goiás, desatar o nó do ramal das ferrovias Centro-Atlântica e Norte-Sul, potencializar o Porto Seco de Anápolis e proporcionar os meios indispensáveis para suprir, com agilidade e rapidez, as tropas localizadas em todas as regiões do território nacional e de outros países da América do Sul. As importações e as importações goianas alcançarão significativo crescimento com a articulação dos modais de transporte rodoviário, ferroviário em Anápolis.

Bom para Goiás e estratégico para o Brasil

Com capilaridade e dimensão transcendentes às projeções mais otimistas, o projeto do Polo de Defesa de Anápolis e da Central de Suprimentos das Forças Armadas avança através da luta consistente e determinada do COMDEFESA-GO. Um negócio de R$ 7,5 bi por ano, mais de 200 indústrias e milhares de empregos de alto valor agregado, extremamente importante para o desenvolvimento de Goiás e estratégico para a defesa e a segurança do Brasil.

O caminho a percorrer é longo e de alta complexidade, mas Anápolis está conectada ao futuro através da emblemática união das autoridades, do setor produtivo, das lideranças, das entidades e da comunidade.

MANOEL VANDERIC – jornalista

%d blogueiros gostam disto: